Irmã brasileira, de Notre Dame, vai atuar no Conselho da Unanima Internacional da ONU

A Irmã de Notre Dame, Nonata Bezerra, da Província da Santa Cruz, com sede em Passo Fundo, deve ocupar, em breve, uma vaga no Conselho da Unanima Internacional, Nonataorganização não-governamental – ONG, fundada em 2002, com o objetivo de levar o espírito feminino para as Nações Unidas junto à sua entidade máxima, a ONU. A religiosa vive, atualmente, na comunidade Notre Dame de Roma, onde se prepara para o cargo de coordenadora do projeto Justiça, Paz e Integridade com a Criação (JPIC). No Brasil, ela trabalhou em organizações de base durante a maior parte de sua vida religiosa e coordenou programas de educação ligados ao Governo Federal em áreas rurais do estado do Acre.

Feliz pela indicação, Irmã Nonata, que está em experiência na ONU em Nova York, acredita que o trabalho será intenso e desafiador. “Espero aprender com outras organizações e ver como elas estão trabalhando em cada uma das áreas de atuação da ONG. Agradeço à minha congregação e à Unanima por essa possibilidade de aprender como ajudar o mundo a ser melhor”, comenta.

A Unanima International atua, junto às Organizações das Nações Unidas, em áreas especiais, como mulheres e crianças – que vivem em situação de pobreza, ou que tenham sido traficadas -, imigrantes e refugiados, e meio ambiente (especialmente no que diz nonata1 (Copy)respeito à água e alterações climáticas). O trabalho da organização ocorre principalmente na sede das Nações Unidas em Nova York, onde a Unanima se une a outros membros da sociedade civil com o objetivo de educar e influenciar os decisores políticos, a fim de que ocorra uma mudança sistêmica para a construção de um mundo mais justo.

A ONG é formada por 20 congregações de irmãs católicas e reúne cerca de 20 mil membros, que trabalham em mais de 80 países. Dessa forma, utiliza as vozes, preocupações e experiências de cada uma das religiosas como educadoras, profissionais de saúde, assistentes sociais e agentes de desenvolvimento para pautar, junto às Nações Unidas, suas percepções quanto à necessidade de mudanças que visam promover a igualdade e a justiça.

Esta entrada foi publicada em Destaque, Irmãs de Nossa Senhora, ND no Mundo, Notícias. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe um comentário